Entrevista com Junia Paixão, professora, diretora de escola, cronista, poeta… autora de “Um quarto de cortinas Azuis

Nasceu em 23/11/1967, em Serra do Navio-AP. Em dezembro de 1970, a família retornou a Belo Horizonte e lá viveu até dezembro de 1990. Formou-se aos 17 anos no curso de magistério e em 1985 iniciou sua carreira de professora. Em 1991, formou-se em Ciências Biológicas pela UFMG e possui pós-graduação em Biologia e em Supervisão escolar. Casada há 22 anos, é mãe de 3 filhos. Atualmente reside em Carmo da Mata/MG, onde ocupa o cargo de diretora de escola da rede pública estadual. Em 2008, criou o Blog Mosaico, onde desde então posta seus escritos. Atualmente é colunista semanal do Jornal A notícia, em Carmo da Mata e já teve alguns trabalhos publicados no Jornal O Tempo. Júnia descreve o ofício de escrever como a melhor forma de autoconhecimento e de extravasar sentimentos; “Uma feliz terapia” afirma.

Editora Literacidade – Como ocorreram seus primeiros contatos com a literatura, especialmente com a palavra poética?
Júnia Paixão – Sempre tive facilidade em escrever, desde os tempos de escola. Quando adolescente, tinha meu caderninho de poemas. Mas o início dessa história aconteceu em 2000, quando escrevi alguns textos de protestos em relação à situação da educação em Minas e que, para minha surpresa, foram publicados pelo jornal Estado de Minas. Depois disso, e com os incentivos dos colegas de trabalho e da família, comecei a escrever sobre diversos assuntos, mas ainda eram textos pontuais, sobre situações específicas. Comecei então a publicar minhas crônicas nos jornais da minha cidade e sempre tinha retorno de leitores que gostavam. Em 2008 criei o blog e aí a escrita começou a ser mais constante. Comecei a transformar casos de família em contos e crônicas. A poesia chegou mais tarde. Os primeiros poemas são de 2011. Comecei a ler mais poesias e pensei: Por que não escrever? E me apaixonei!!

Editora Literacidade – Foi assim que nasceram os passeios poéticos “Um quarto de cortinas azuis”?
Júnia Paixão –
Sim. O livro sempre foi um sonho. O ano passado publiquei um de crônicas, mas o livro de poemas era a menina dos meus olhos. A poesia me trouxe uma sensibilidade que nem mesmo eu sabia que tinha. Ela muda nosso olhar pra vida!

Editora Literacidade – Ele foi escrito como uma unidade ou é uma reunião de poemas esparsos?
Júnia Paixão – É uma seleção dentre os muitos poemas que tenho. E nessa seleção procurei aqueles que sugerem acolhimento e tranquilidade. Uma pausa nessa correria do dia a dia. E acredito também ser uma apresentação. Retrata fases vividas, mais fáceis, mais conflituosas.

Editora Literacidade – Você é diretora de escola. Os professores e os alunos da escola sob sua direção sabem que você escreve? Conhecem seu trabalho literário? Fale-nos a respeito.
Júnia Paixão – Muitos sabem, mas sou mais conhecida pela coluna no jornal local. Como a cidade é pequena e todo mundo se conhece, os textos tem uma repercussão grande. Nem todos conhecem meu lado poeta. Mas tenho muitos colegas que acompanham o blog, e meu livro de crônicas foi bastante procurado na biblioteca da escola. Numa escola, são tantas as tarefas que o espaço literário fica meio de lado!

Editora Literacidade – Você tem poetas de sua predileção? Tem aqueles que você sempre está relendo?
Júnia Paixão – Tenho. Leio muitos e procuro vários estilos, mas meus preferidos são Mário Quintana e Adélia Prado. Aliás, o livro Bagagem, da Adélia, foi o responsável pela poesia em minha vida.

Editora Literacidade – Como chegou até nós? Já havia ouvido falar do trabalho que temos desenvolvido?
Júnia Paixão – Sempre procuro concursos literários na internet, e conheci vocês quando participei da seleção de 100 poemas 100 poetas. E depois pelo Prêmio LiteraCidade do ano passado. Para os iniciantes, os concursos e as antologias são quase o único caminho. Trabalho, como o de vocês, é uma contribuição enorme à cultura do país.

Editora Literacidade – Você tem outros livros inéditos? Outros livros em redação? Quem sabe um romance? O que espera da literatura? O que ela pode lhe proporcionar?
Júnia Paixão – Não tenho romance e não me sinto capaz de escrever um ainda. Alguns contos guardados, muitas crônicas e diversos poemas. Tenho um livro em elaboração, de contos e crônicas.

entrevistas

Clique no banner para acessar o índice de entrevistas!

Anúncios